fbpx
Bola de energia estática_Ramón Salinero_Unsplash

Lawtech e Legaltech: as tendências para manter no radar em 2019

BlogPosts
Nenhum comentário

O Brasil vem se revelando um terreno fértil em oportunidades para uma lawtech ou legaltech, termos usados para se referir a uma startup jurídica. O setor jurídico no país é sinônimo de dados impressionantes: temos cerca de um milhão de advogados registrados nos quadros da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), 1.200 faculdades de Direito, 80 milhões de ações pendentes e um tempo médio de julgamento em 1ª instância de quatro anos e quatro meses. E é nesse cenário complexo e gigantesco que essas startups apareceram com força total em território nacional.

Uma lawtech ou legaltech tem como objetivo revolucionar o mercado jurídico por meio da criação de produtos e serviços de base tecnológica. As startups jurídicas estão ganhando cada vez mais tração mundo afora. Hoje, estima-se que existam 1.500 startups no mundo que se dedicam a resolver problemas do universo do direito, e os investimentos recebidos por essas empresas somente em 2018 somaram 700 milhões de dólares nos Estados Unidos, segundo dados do CrunchBase.

Lawtech e legaltech no Brasil

No Brasil, a previsão é de crescimento acelerado. Em 2017, a Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs (AB2L) nasceu para agregar as startups jurídicas tupiniquins e ajudá-las a expandir suas capacidades. Em 2018, um importante passo nessa direção veio com a primeira edição do programa de aceleração “Accelerator Day for Lawtechs”, iniciativa da entidade em parceria com a Thomson Reuters.

Atualmente, há ao menos 100 legaltechs em atividade no país, de acordo com a Ab2L. Uma quantidade que certamente aumentará à medida que novos jovens bacharéis em Direito, e ligados em tecnologias disruptivas, se lançarem no mercado.

E a Justiça está de olhos abertos para essa revolução: no último dia 30, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) concedeu, pela primeira vez, o prêmio Conciliar É Legal para uma lawtech, reconhecendo o projeto conduzido pela Mediação Online e o banco Itaú que promoveu, com mais eficiência, dezenas de acordos entre a instituição financeira e empresas devedoras.

Os dados não deixam dúvidas das oportunidades que estão no horizonte dessas startups. Com isso em mente, selecionamos algumas das principais tendências para o setor em 2019. Veja abaixo:

1 – O cliente no centro da experiência

Os recentes avanços tecnológicos em diferentes áreas vêm tornando a interação e a experiência dos consumidores na compra de bens e serviços cada vez mais simples e agradável. Em contrapartida, também estão os tornando ainda mais exigentes quanto ao que contratam. Na advocacia, não é diferente. Segundo o relatório LegalTech Trends 2019, as expectativas sobre os serviços jurídicos estão mudando, especialmente no que diz respeito aos meios de pagamento e a possibilidade de se resolver dúvidas por meio de portais eletrônicos.

De acordo com o levantamento conduzido pelo estudo nos Estados Unidos, 50% dos entrevistados são mais propensos a contratar um advogado que aceite pagamento eletrônico e 40% disseram que jamais contratariam um profissional que não aceitasse cartões de débito ou crédito. Além disso, 52% afirmaram que gostariam de poder verificar online as horas usadas em seu caso.

2 – Advocacia à distância

O relatório também mostrou que os clientes estão cada vez mais abertos a solucionar suas questões à distância, sem necessariamente comparecer pessoalmente ao escritório. Nesse ponto, o surgimento de tecnologias que permitem aos advogados administrar seus casos remotamente, como aplicativos para celulares e computação em nuvem, trará à tona novas dinâmicas de trabalho.

Do lado dos clientes, essas novidades já parecem bem-vindas. Segundo o LegalTech Trends 2019, clientes que tiveram experiências jurídicas nos últimos dois anos, por exemplo, são abertos à interação remota com advogados e até ao uso de robôs na solução dos seus problemas. Entre essas pessoas, 31% disseram não fazer questão de conhecer seu advogado pessoalmente e 24% delas concordam que robôs são úteis no aconselhamento jurídico.

Esses percentuais sobem ainda mais quando se olha para o grupo de pessoas que declarou não desejar contratar um advogado para resolver seus problemas: 47% não desejam encontros pessoais e 36% não se incomoda em interagir com robôs.

3 – Inteligência artificial

Essa mudança de paradigma em torno das expectativas dos clientes sobre os serviços jurídicos também revela um papel fundamental para a inteligência artificial na advocacia. Com robôs mais capazes de compreender comandos e prever cenários, a tendência é a de que essa tecnologia se torne cada vez mais central no desenvolvimento de soluções. Ou seja, um campo fértil de oportunidades para uma lawtech ou legaltech.

4 – Cabeça na nuvem e smartphone no bolso

Chega de guardar papelada em cima da sua mesa e ter de lembrar de carregá-las para toda e qualquer reunião. O momento é o de armazenar seus documentos na nuvem para então acessá-los onde quer que você esteja. Segundo prevê o blog Planet Compliance, 2019 será o ano em que os custos desse tipo de serviço irão baixar e isso fará com que essa tendência se consolide especialmente entre os advogados.

5 – Cibersegurança

O acesso à computação em nuvem fará nascer uma necessidade: a adoção de plataformas de cibersegurança atualizadas e preparadas para o combate ao roubo de dados, um pesadelo que atingiu em cheio o meio jurídico nos últimos anos. A tendência é a de que os investimentos nessa área sejam cada vez mais urgentes: segundo números publicados pela revista Forbes, 80% das maiores bancas dos Estados Unidos foram alvo de tentativas de ataques virtuais e 60% dos e-mails recebidos por esses escritórios foram categorizados como “phishing”, a prática de “pescar” informações e dados pessoais por meio de mensagens falsas.

Você sabe o que é blockchain? Entenda o que é essa tecnologia, seus impactos no direito e o que esperar do futuro.  

O conteúdo oferecido faz parte da Academia MOL.

Para saber mais sobre a MOL – Mediação Online, acesse www.mediacaonline.com.

Siga a gente no Instagram, LinkedIn e Facebook. 😉

, ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Posts Recentes

Menu