fbpx
Empresas são únicas

Pessoas são diferentes, são únicas. Assim como as Empresas.

BlogPosts
1 Comentário

Por mais que seja natural e até obvio, muitas vezes nos esquecemos de que não há receita geral para a melhor gestão jurídica nas empresas, pois cada uma é única.

Empresas, assim como pessoas, são “individuais” e precisam ser entendidas (para que sejam geridas) em sua especificidade, segundo o seu contexto, as suas características e o seu momento.

Sabem os pais que cada filho é único, os professores que cada aluno é único, os amigos que cada amigo é único, os amantes que cada relacionamento é único, os técnicos/treinadores que cada atleta é único, e os gestores que cada equipe, assim como cada colaborador são únicos. Termos essa consciência já será de grande valia.

Tentar aplicar fórmulas infalíveis “gerais” não funciona e gera mais frustração do que bons resultados.

Muitas vezes quando se muda de empresa cai-se na armadilha de querer “levar” pessoas, sistemas, métodos de trabalho e parceiros. Frequentemente, “dá tudo errado”.

Veja também: A Inovação e a Criatividade são Primordiais no Mundo Corporativo Moderno

O que podemos sim é estar sempre atualizados, sermos criativos e inovadores, buscar tendências, conhecer o mercado, aprender as melhores práticas, como “sugestões”, aproveitando muito do “benchmark” e das trocas de experiências. Sabendo sempre que os ajustes e adaptações serão fundamentais.

Mesmo profissionais bastante experientes, com décadas de atuação no mercado da advocacia corporativa, precisam ter plena consciência de que cada segmento, cada empresa, cada unidade e cada momento são únicos, de forma que, necessariamente, a gestão também precisa ser.

Quanto mais seniores e experimentados formos, mais bagagem e conhecimento teremos, pois as horas de voo e os “cabelos brancos” são fundamentais na alta gerência, mas devemos igualmente saber que o que vivemos/fizemos em uma empresa/organização precisa ser “no mínimo” atualizado e “recontextualizado” para que talvez seja aplicado em outra.

Experiências são sempre validas e importantes, sempre ajudam, mas é preciso saber o que se pode ou consegue aplicar numa ou noutra situação.

Resultados vencedores num ou noutro projeto ou segmento nem sempre podem ser replicados, pois as condições variam muito. Ou precisam, no mínimo, de grandes ajustes.

Temos que ter paciência, resiliência e experiência também para filtrar o que se pode e o que não se pode aproveitar numa nova “casa”. E, por vezes, em que momento tentar este ou aquele “remédio”.

Logicamente, quanto mais conhecemos sobre a própria moderna advocacia corporativa, melhor preparados para os desafios dos departamentos jurídicos estaremos, mas sempre lembrando de ajustar, de adaptar, de considerar a cultura, as pessoas, as condições e o momento.

Um dos grandes riscos que alguns colegas cometem está justamente na falsa impressão de que tudo seja replicável, seja interna seja externamente.

Pessoas, parceiros, sistemas, fornecedores, técnicas, padrões, modelos, podem ter funcionado “super bem” numa organização, ou num momento, e não funcionar em outra, pois muita coisa é diferente.

E mesmo que você não mude de empresa, ela estará em constante transformação, seja interna seja do mercado ou segmento, das condições do País, pessoas etc.

Entender e respeitar a cultura da organização é fundamental, mas também os seus movimentos, pois o “sempre foi assim”, um dia deixará de ser.

Na mesma linha, ainda que empresas são sejam propriamente pessoas, são sempre criadas, geridas, operadas e formadas por pessoas, e de certa forma, como tais precisam ser entendidas e tratadas.

Pessoas e empresas têm bons e maus momentos, tem bons e maus resultados, tem dias de sol e dias de chuva. E conseguirmos identificar todas essas questões pode fazer muita diferença.

Fujamos da tentação de generalização, da massificação e das fórmulas mágicas, pois elas não funcionam.

Afinal, se você quer ser ou já se considera um bom gestor, não pode imaginar que alguém consiga imitar exatamente o que você faz, e fazer exatamente o que você faz do seu jeito.

As máquinas (sistemas, “softwares”, robôs) fazem muito e farão cada vez mais, mas ainda levará um tempo para que consigam entender todos os ajustes que são necessários em cada momento e situação únicos.

Equipes e empresas são como organismos e justamente não como máquinas, e quanto mais cedo aprendermos essas questões e suas consequências, melhores gestores seremos.

Afinal, se cada pessoa e cada empresa são únicas, cada gestor também é – e precisa ser.

Procure sempre o seu jeito, a sua maneira, a sua forma de lidar com as questões. Aprenda sempre, com tudo e com todos.

Dedique se a ser uma pessoa, e um profissional, melhor todos os dias, em todas as situações. Você e sua carreira agradecerão.

O que valeu ontem pode não valer amanhã.

Seja único, seja você mesmo. E seja cada vez melhor!!

Biografia do Autor

LGPD Leo Leite AdvocaciaLeonardo Barém Leite é advogado em São Paulo, especializado em negócios e em advocacia corporativa, sócio sênior da área empresarial de Almeida Advogados, com foco em contratos e projetos, societário, governança corporativa, “Compliance”, fusões e aquisições (M&A), “joint ventures”, mercado de capitais, propriedade intelectual, estratégia de negócios, infraestrutura e atividades reguladas.

Formado em Direito pela Universidade de São Paulo (“São Francisco”) com especialização em direito empresarial, pós graduado em administração e em economia de empresas pela EAESP-FGV/SP, bem como em Gestão de Serviços Jurídicos pela mesma instituição. Pós-graduado em “Law & Economics” pela Escola de Direito da FGV/SP, especializado em Direito Empresarial pela Escola Paulista da Magistratura (EPM) e em Conselho de Administração pelo IBGC/SP. Mestre em “Direito Norte Americano e em Jurisprudência Comparada” pela “New York University School of Law” (NYU/EUA).

É membro de diversos conselhos de instituições brasileiras e internacionais, autor de diversas obras sobre gestão jurídica estratégica e direito empresarial, professor em cursos de pós-graduação. Integra várias comissões e comitês de advocacia corporativa em São Paulo e em outros estados.

É professor em cursos de especialização em Gestão Estratégica de Departamentos Jurídicos de Empresas na FIA e na FAAP, em São Paulo, e autor de livros sobre o assunto. Foi sócio do escritório Demarest e Almeida – Advogados onde atuou por mais de 20 anos, e também advogado estrangeiro no escritório Sullivan & Cromwell em NY e na Europa nos anos 1990.

1 Comentário. Deixe novo

  • Caro Dr Leonardo Sensacional e preciso, certeiro, direto e consistente! Meus parabéns! Acredito muito em tudo que você conseguiu expressar nesse texto! Vou compartilha-lo pois tenho certeza de que ele provocará uma reflexão oportuna em quem o ler. Parabéns !

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Posts Recentes

Menu