fbpx
Prevenção de litígios: como as empresas devem agir_floriane-vita_unsplash

Prevenção de litígios no setor financeiro: como as empresas devem agir

BlogPosts
Nenhum comentário

No universo complexo da Justiça brasileira, que vive abarrotada de processos que tramitam com extrema lentidão, a prevenção de litígios é uma estratégia que está ganhando força entre empresas de diferentes setores Isso implica saber identificar os riscos em torno da operação e saber como mitigá-los, evitando, assim o surgimento de novas demandas judiciais, o que se traduz em economia de tempo e dinheiro.

Processos no Brasil: Quanto as empresas gastam anualmente

O setor financeiro é um dos que mais pode se beneficiar dessa ideia de prevenir problemas judiciais. Presença certa na lista dos maiores litigantes do Brasil, o setor estava envolvido em 39% das ações judiciais entre os anos de 2014 e 2016 e casos sobre os mais variados temas, entre processos consumeristas e até trabalhistas.

O panorama torna-se ainda mais dramático quando se lembra que uma ação pode levar até dois anos para ser julgada ainda na primeira instância, um fato que comprova a tese da morosidade que domina hoje a Justiça brasileira. A boa notícia é que o setor financeiro pode reverter esse quadro.

Prevenção de litígios para o setor financeiro

O setor financeiro pode prevenir litígios incorporando métodos alternativos de conflitos, como a negociação e a mediação, à estratégia jurídica. Ambos podem ser realizados em ambientes digitais e aplicados em casos judicializados, reduzindo estoque de processos e evitando novos.

5 benefícios de usar a mediação de conflitos entre bancos e clientes

Tanto a mediação quanto a negociação podem ser usadas na solução dos problemas que mais afetam empresas do setor financeiro, como conflitos trabalhistas, ações no âmbito do Código de Defesa do Consumidor, fraudes e também indenizações.

Quando realizadas online, como é o caso das soluções oferecidas pela Mediação Online, as sessões de mediação ou negociação não exigem que as partes estejam juntas no mesmo local. E isso é algo que reduz custos e facilita a resolução de um número maior de casos: podem ser até seis vezes mais econômicas e 30 vezes mais rápidas que a Justiça.

A negociação como ferramenta para o setor financeiro

Para o setor financeiro, a negociação se destaca como a melhor alternativa em razão da proposta de promover uma solução prática e rápida para um problema pontual. Segundo a MOL, a agilidade da sua plataforma pode fazer com que o processo seja 115 vezes mais rápido que a Justiça e até 85% mais barato.

Como funciona a negociação e mediação no ambiente do odr?

A negociação não conta com um intermediador. A empresa envia o caso à plataforma da Mediação Online, que gera um convite para a outra parte. Uma vez aceito, o processo começa e as partes interagem diretamente. Quando chegam em um consenso, é gerado um acordo digital que é assinado pelas partes. Esse documento é dotado da validade de um título jurídico extrajudicial, o que confere segurança jurídica ao acordo.

O fato de esse ser o método indicado para conflitos pontuais faz da negociação uma alternativa eficiente para empresas do setor financeiro que tenham um alto volume de conflitos. Não à toa, lembra a Febraban (Federação Brasileira dos Bancos), 40% do total dos acordos virtuais feitos pelos bancos foram fechados por meio da negociação.

 

Soluções alternativas podem conter a avalanche de processos judiciais. Não deixe de conferir nosso artigo que mostra como isso é possível

O conteúdo oferecido faz parte da Academia MOL.

Para saber mais sobre a MOL – Mediação Online, acesse www.mediacaonline.com.

Siga a gente no Instagram, LinkedIn e Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Posts Recentes

Menu