fbpx
conflitos que podem gerar um acordo extrajudicial_joshua-ness_unsplash

Afinal, quais conflitos podem gerar um acordo extrajudicial?

BlogPosts
Nenhum comentário

Acordo extrajudicial é uma tratativa entre partes em conflito que acontece fora do ambiente do Judiciário. Atualmente, em razão da morosidade da Justiça brasileira e os altos custos envolvidos na litigância no Brasil, se tornou uma alternativa mais rápida e barata para solucionar controvérsias e é especialmente atraente para as empresas.

Processos no Brasil: Quanto as empresas gastam anualmente

Os métodos alternativos de resolução de conflitos, como a mediação e a negociação, são os caminhos por meio dos quais pessoas físicas ou pessoas jurídicas chegam até o acordo extrajudicial. Tais podem ser usados para evitar a judicialização de um problema, bem como em ações que já estejam correndo pelas vias judiciais. Outro destaque é o fato de não ser necessário que as partes em conflito sejam assistidas por advogados.

Acordo extrajudicial: por que optar por um acordo fora da Justiça?

Embora seja “extrajudicial”, esses acordos não deixam de ter validade jurídica, uma vez que o documento assinado pelas partes para encerrar o conflito se torna um título executivo extrajudicial. Isso significa que, se descumprido, ele poderá ser levado à Justiça e será resolvido de forma mais rápida. É possível, ainda, homologar esse acordo extrajudicial, um processo feito por um Juiz de Direito e que transforma o documento em sentença.

A possibilidade de acordos extrajudiciais veio para transformar a relação dos brasileiros com a Justiça e os números são animadores. Só a plataforma digital da Mediação Online, que oferece soluções de mediação e negociação, já resolveu mais de 34 mil casos de forma 30 vezes mais ágil e seis vezes mais econômica que as vias judiciais.

Conflitos que podem gerar acordo extrajudicial

O acordo extrajudicial pode resolver conflitos com consumidores, parceiros, colaboradores e fornecedores, evitando sua judicialização. Vale notar que é possível recorrer aos métodos alternativos a qualquer momento, esteja o caso tramitando na Justiça ou não. Veja exemplos:

  • Conflitos trabalhistas

Até a reforma trabalhista, sancionada pelo então presidente Michel Temer em 2017, a Justiça do Trabalho não reconhecia a legalidade de acordos extrajudiciais em conflitos dessa natureza. Com a inovação trazida pelas alterações à CLT, empregadores e empregados agora podem solucionar controvérsias entre si, definindo os termos do acordo.

Como a mediação no direito do trabalho pode resolver conflitos?

O volume de acordos extrajudiciais nessa matéria saltou após um ano da vigência da reforma. Antes da reforma, foram processados 1.742 acordos extrajudiciais. Entre novembro de 2017 e novembro de 2018, contudo, houve um crescimento de 1.804% nesse número, mostrou um levantamento da Folha de S. Paulo.

  • Conflitos consumeristas

Conflitos no âmbito do Direito do Consumidor, que abarca milhares de ações muito comuns especialmente em empresas do setor do varejo e telefonia, também podem ser resolvidos com métodos alternativos, como a mediação e a negociação, e gerar acordo extrajudicial.

Nesses casos, a velocidade e eficiência do processo ajuda as empresas na recuperação da sua imagem e restaura a confiança dos consumidores. Segundo a experiência da MOL, as empresas que escolhem esses métodos observam um aumento em seu NPS (Net Promoter Score), método que avalia a satisfação dos clientes.

  • Conflitos contratuais

A relação de uma empresa com fornecedores e parceiros está cada vez mais complexa em razão da velocidade das mudanças em um mundo globalizado. E isso é algo que impacta diretamente no teor dos contratos que regulam esse relacionamento em diferentes setores, do financeiro ao varejo, passando por seguradoras, educação e telefonia.

A boa notícia é que aqui também é possível solucionar controvérsias amigavelmente por meio de acordo extrajudicial. Como se trata de uma relação construída ao longo do tempo, focar na solução da controvérsia, sem deixar de lado a recuperação desse laço, é essencial e algo factível de ser conquistado por meio dos métodos alternativos.

Diferença entre cobrança e acordo extrajudicial

Como vimos, o acordo extrajudicial é o resultado do consenso de partes em conflito sem a interferência do Judiciário. Muita gente, no entanto, confunde esse termo com outro: a cobrança extrajudicial.

A cobrança extrajudicial acontece quando um devedor está inadimplente com o credor. É uma espécie de contato amigável que busca o acerto da dívida, de acordo com o combinado entre essas figuras. Contudo, na ocasião de resistência por parte do devedor, o credor pode transformar essa cobrança em judicial, envolvendo o Judiciário na jogada.

É justamente antes de esse conflito chegar à Justiça que o acordo extrajudicial entra em cena. A ideia, nesse caso, é evitar que a transformação da cobrança extrajudicial em judicial, solucionando o problema de forma amigável.

 

A Justiça brasileira é lenta e custosa. Entenda a importância da desjudicialização no direito brasileiro

O conteúdo oferecido faz parte da Academia MOL.

Para saber mais sobre a MOL – Mediação Online, acesse www.mediacaonline.com.

Siga a gente no Instagram, LinkedIn e Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Posts Recentes

Menu